quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Vícios



Já disse que tenho uma fraqueza para participar de pesquisas, mas nada perto do problema
que tenho com coleções.

Adoro promoções, coleções e brindes. Sempre adorei. Uma das primeiras coisas que
colecionei foi os gibis da Mônica da Coca-Cola, era só juntar dez tampinhas, ou algo assim.
Consegui todos os gibis, só faltava a caixa de papelão para guardá-los, mas quando consegui
as juntar as tampas e fui na banca, a promoção já havia acabado...

Lembro também de uma caneta da Coca-Cola que virava uma garrafa, consegui trocar uma só,
na época tinha que ficar amolando minha mãe para ir trocar comigo.

E os brindes... Tinha um bonequinho do chambinho de plástico em forma de coração, lembro de ficar brincando com ele antes do meu aniversário de 5 anos.

Tenho um sério problema de compulsão, obsessão, ou sei lá, e tenho q me controlar até
hoje, para não sair por aí querendo juntar qualquer bugiganga que venha em mais de 4 cores,
acenda luz, ou toque música. Por isso me limitei a participar de promoções que não gaste
dinheiro, junte 100 embalagem, tudo bem, eu dou um jeito; mas junte 3 embalagem + 10 reais
nem pensar.

Já cheguei ao ponto de passar a tarde revirando lixo, pedindo copos para pessoas
estranhas no shopping, como uma viciada em drogas.

E como é difícil colecionar coisas sem poder gastar demais. Quando eu entrei no prézinho (1988) na época da páscoa aprendi a fazer um coelho com um rolo de papel higiênico vazio, resolvi fazer uma coleção, uma grande família de coelhos, e fiz em casa com todos os rolos, tubos de diploma, cartolina, papel, tinha coelhos por todos os lados. No mesmo ano aprendi a fazer um palhaço de dobradura e repeti a dose.

Colecionei figurinhas, muitas, mas não tinha dinheiro para comprar o álbum, então meu pai
me dava um caderno vazio enfeitava a capa e eu colava as figurinhas lá, tive vários
caderninho desses, tinha umas figurinhas fofinhas do nescau e do miojo que eram minhas
preferidas, quando o dinheiro acabava, eu recortava figuras de revistas para fazer de
figurinhas.

Também colecionei bolinhas de gude, não para jogar mas por que eram lindas, transparentes
com duas ou três cores entrelaçadas dentro. queria de todas as cores possíveis, e todo o dia
depois da escola ia na banca comprar uma nova, sem exagero tive mais de cem, duzentas
talvez. Fora isso eu as organizava cuidava e dava nome, um dia brincando no quintal uma caiu
no ralo, foi uma tristeza, por anos eu ia conferir se a coitada não saia pelo ralo da frente de casa. Talvez ela ainda esteja no encanamento, quem sabe?

Semana passado comprei 5 gelatinas para tentar uma mochila, mas tinha esgotado o estoque,
no começo do ano participei da promoção boiada toddy, não faltou toddy de todos os sabores
aqui em casa, ontem vi o comercial do Ades, que troca 4 por uma toalha, hum, estou me
controlando para não ir no mercado e comprar litros, adoro Ades mesmo.

Colecionei, pedras, dinheiro, chaveiros, cartões, fitas...O pior dos casos, apesar de todos terem um bocado de insanidade, deve ter sido o de papel
de cartas. Na escola quase todas as meninas tinham uma pasta, cheia de lindos papeis de
cartas, eu resolvi colecionar, era uma atividade divertida porque no recreio, você podia
trocar seus papéis com sua amigas. Tinha 3 tamanhos de papel, o Grande o médio e o pequeno,
e custavam centavos.

Eu comecei com uma pasta rosa, fininha, depois comprei um fichário, e por último lotei uma daquelas pastas de AZ, até que tive que parar. Para trocar eu comprava
só papeis repetidos, tive uma coleção linda, que demorava horas para ser apreciada, organizada por tamanho e harmonia.

De tudo que colecionei, e pode ter certeza que não disse tudo,(mesmo por que posso chegar
em casa amanhã com todas as toalhas exclusivas do Ades) Não tenho hoje mais quase nada, minha mãe se livrou da maioria , e não era tão difícil , depois de um tempo a euforia passava e eu esquecia a coleção pra lá. Por isso tomo cuidado com drogas, cigarro e álcool, tenho uma certa facilidade para me viciar.


A quem interessar o site do blog que eu visitava antes de fazer o post:

http://www.voceselembra.com/search?updated-max=2008-07-13T08%3A07%3A00-07%3A00&max-results=10

5 comentários:

Marcela Prado disse...

Esses dias eu vi uma promoção ótima no supermercado, era de macarrão (acho), mas tinha que uma grana mais embalagens. Eram mochilas fofis de pelúcia em formati de bichinhos.
E eu vi no metro uma do guarana, que vc liga o treco no mp4 e sai som de qlq objeto. Nao sei bem como é, mas to loca pra ver

Marcela Prado disse...

e será que esse seu impulso é um sintoma de esquizofrenia?
Acho que é.

hahahahaha.

E o Emerson não vai ler esse texto.

E quando vc vai ouvir o que eu te falo?

Marilia Ferreira disse...

caraca!!!
eu quando criança tinha coleção de papel de carta e pior, fiz disso um negócio e lucrava vendendo as folhas iguais para minhas amigas! rs

Colecionei também aquelas bolinhas que pulam que vendem numas maquinas redondas em farmacias e no shopping.

Gostei de tazos também!

mas o melhor eram as figurinhas!!! De todos que tive completei apenas um, sem ter q mandar uma carta pra editora pra mandar as figurinhas que faltavam..hahaha

curti teu blog!!!

.leticia santinon disse...

Eu nunca gostei de colecionar nada, falta disciplina para tal.

Carol Campregher disse...

Conseguir ganhar dinheiro com coleções é uma proeza, já que normalmente acontece o contrário...

Nunca colecionou nada?! Sério?! Nem amigos, remédios ou músicas?